A origem do fogo

    O fogo foi um dos avanços tecnológicos mais importantes para o ser humano e também uma das ferramentas mais destruidoras. Sua origem se deu a milhões de anos atrás no período da pré-história e mais tarde o homem primitivo aprendeu a controlar o fogo proveniente de incêndios naturais. Por volta de 300.000 anos atrás os ancestrais do Homo sapiens já haviam conseguido fazer o fogo a partir da fricção de objetos, como pedra e madeira e o utilizava diariamente (Sapiens: uma breve história da humanidade, 2015). A partir desta conquista muitos avanços surgiram, eles o utilizavam em seu beneficio como proteção contra o frio e predadores, na caça e cozimento das presas, na agricultura e criação animal (veja mais informações no filme A Guerra do Fogo, 1981).



    A partir daí muitas outras utilidades foram dadas ao fogo, sendo a base das primeiras armas térmicas. Na primeira guerra mundial ele era utilizado nos lança-chamas pela infantaria e em bombas incendiárias na segunda guerra. Veja sobre FOGO no Wikipédia.

    A importância do fogo atualmente se dá de diferentes maneiras, desde as ações mais simples, como a preparação dos alimentos, até as mais complexas como a queima dos combustíveis, a geração de energia elétrica e o uso industrial nos fornos de altas temperaturas. Porém, apesar dos benefícios que o fogo pode trazer, existem fatores negativos como as queimadas e a poluição do ar, do solo e da água.

    Na agricultura as queimadas são muito utilizadas pois é uma forma de baixo custo para os pequenos agricultores para limpeza de uma área para cultivo ou renovação de pastagem.  Porém, apesar de facilitar os processos agrícolas a curto prazo, a longo prazo tem um efeito devastador no equilíbrio ambiental. Os efeitos das queimadas no meio ambiente são perda de biodiversidade (animal e vegetal) em áreas de preservação, aumento da erosão, diminuição da fertilidade do solo tornando as lavouras menos produtivas, diminuição da qualidade e da umidade o ar, perda da qualidade da água devido a destruição das matas ciliares, aumento de doenças respiratórias e muitos outros problemas indiretos associados às queimadas.

    Uma grande preocupação atualmente são os incêndios florestais que acometem muitas partes do mundo todos os anos. As queimadas podem ser de origem natural ou antrópica (causada pelo homem). A forma como a ignição é dada depende do material a ser queimado (biomassa) e das condições climáticas, como a umidade relativa do ar, a temperatura e o vento. As constantes queimadas causam graves prejuízos na dinâmica dos ecossistemas, saúde humana e agricultura. O impacto que isso causa no planeta se reflete principalmente nas temperaturas sendo uma das causas do aquecimento global. Saiba mais sobre a verdade sobre as queimadas.

    Estudos científicos comprovam que as queimadas são a segunda maior causa do aumento do efeito estufa e do aquecimento global, além de ser uma prática cultural, que ocorre há milhares de anos. Nas cidades as queimadas geralmente ocorrem de forma criminosa ou acidental, como por exemplo quando uma pessoa joga pontas de cigarros em terrenos baldios ou na beira das estradas. Algumas pessoas também utilizam o fogo na queima de lixo doméstico e limpeza de lotes baldios e com os ventos fortes, as chamas se espalham causando danos ambientais (Naturatins).

A origem da maioria dos incêndios florestais atualmente no Brasil é antrópica e muitas vezes ocorrem em áreas de proteção ambiental devido a conflito de interesses de terra, principalmente para produção de pastagem e agricultura, sendo diretamente ameaçadas por incêndios florestais e associado ao desmatamento. O incêndio florestal criminoso pode ocorrer por várias razões como vingança pessoal, político, interesse de produção em terras destinadas à conservação ou distúrbios psicológicos. O incêndio criminoso deve ter punição e trabalhos de educação ambiental e fiscalização devem ser realizados, principalmente em épocas de seca. Importantes dizer que incêndios florestais naturais podem ocorrer através de raios, porém como ocorrem em épocas de alta umidade, não tomam grande intensidade devido às condições meteorológicas desfavoráveis à propagação do fogo, podendo ser imediatamente extintos pela chuva. Veja sobre as principais causas de incêndios florestais no Brasil.

    Diante às conhecidas perdas de biodiversidade, à morte de animais, à contribuição do efeito estufa, ao desflorestamento, à poluição ambiental, aos danos respiratórios, ao transtorno no tráfego aéreo e terrestre, às despesas de combate, à destruição de terras indígenas e à morte de pessoas ocorridas pelo fogo sem controle, os incêndios florestais estão entre os maiores temas em discussão ambiental atual e negligenciá-lo é grave. É necessário evitar ao máximo que eles ocorram, pois o efeito do fogo é destruidor e o aumento de sua frequência pode tornar seu impacto irrecuperável ao horizonte de vida humano.

Profa. Fernanda de Freitas Borges


Imagem 01 - UnifiArt/Pixabay adaptado
Imagem 02,03 e 04 - : meioambiente.culturamix
Desenvolvimento - Comunicação Fatec Jaboticabal
Texto - Fernanda de Freitas Borges

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL)

Governança para a Sustentabilidade

Como será o mundo pós Covid-19?